Tem sensibilidade dentária? Saiba como tratar.

Já sentiu um friozinho nos dentes a beber algo fresco ou a comer um gelado? Isso é porque tem sensibilidade dentária.

Encontrado nos mais diversos alimentos, o açúcar oferece ao paladar uma falsa sensação de prazer, está associado às receitas mais calóricas e tem malefícios associados à sua oral, como as tradicionais cáries dentárias. Assim, a resposta à questão do título é afirmativa e o seu consumo deverá ser inteligente. Contudo, há pequenos detalhes que podemos partilhar consigo para amenizar os efeitos negativos do seu consumo. Quando é que o dente se encontra mais sensível? A situação mais frequente de se verificar a sensibilidade dentária são as cáries e as exposições radicular. Quando um dente se encontra cariado é possível verificar que a camada de esmalte está danificada. Como consequência, ao existir desmineralização do esmalte, dá-se a exposição da dentina. Com isto, estímulos externos, nomeadamente o frio, são conduzidos à polpa do dente, tornando-o sensível. Outras situações, como por exemplo gengivites, periodontites ou más técnicas de escovagem, que podem provocar recessões da gengiva. Consequentemente, dá-se a exposição da raiz do dente. Contudo, pode considerar-se que ocorre através de outros estímulos, tais como calor, doce, ácido e toque) provocam desconforto ou até mesmo dor. Como tratar? Antes do tratamento é necessário conhecer a sua causa. Portanto, a visita ao Médico Dentista deve ser o primeiro passo porque um correto diagnóstico é fundamental para um tratamento realizado com sucesso. Assim sendo, se a origem da sensibilidade dentária é uma cárie, o procedimento passa pela mão do Médico Dentista. Este irá remover o tecido cariado e reconstruir a camada danificada através de uma restauração. Se, pelo contrário, a origem da sensibilidade está na recessão da gengiva, é importante determinar a causa do problema. Uma incorreta escovagem, a má oclusão dentária ou até mesmo a utilização de aparelho ortodôntico são fatores que podem levar a gengiva a regredir. Como consequência, verifica-se exposição radicular e, por conseguinte, aumento da sensibilidade. Uma dieta rica em alimentos ácidos e/ou bebidas gaseificadas e problemas de saúde, tais como bulimia e refluxo gastroesofágico, podem levar à erosão do esmalte. Esta, por sua vez, faz com que haja exposição da dentina e dos túbulos dentinários e, portanto, aumento da sensibilidade.